Então

About the author

Flavio Prada

Flavio Prada, brasileiro vivendo na Itália se se olha do norte para o sul ou italiano nascido no Brasil se, ao contrario, se se olha vice versa. Duas culturas, que no final são meio a mesma coisa, idênticas ainda que muito diferentes. As espirais concêntricas de múltiplos raios das contradições e paradoxos dessa sua vida medíocre e surpreendente. Arquiteto, designer, quase músico, meio desenhista, um pouco pintor, contador de histórias em horas vagas, ex-publicitário, ex-fumante, ex-magro, ex-patriado. Visionário de pés no chão, não sabe até hoje o que fazer da vida, nunca havia vivido antes. Diz sempre que trocaria tudo para ir se dedicar à terra, mentindo de forma deslavada, mas todos acreditam e concordam, ninguém sabe o porque. Suas únicas publicações foram caricaturas e tirinhas para jornais do interior de São Paulo e Florianópolis, tanto tempo faz que é melhor não tocar nesse assunto. Hoje, entre projetos de loteamentos, casas e edifícios, se dedica a escrever. Seu estilo é indecifrável, muda com o vento, mas tem sempre a ironia a permear tudo, um traço de italianidade que a brasilidade só veio reforçar. Procura sempre esconder suas verdades sob camadas de banalidades e consegue sempre, até hoje não foi descoberto. Nem pelos seus poucos leitores do defunto blog “Lixo Tipo Especial”, que aliás continua on line e abandonado. Flavio pensou em deleta-lo muitas vezes e se ainda não o fez, foi só pra provar a si mesmo que não tem caráter. Como se fosse necessário ter que provar isso…para si mesmo. Para o futuro faz planos muito modestos, como continuar respirando, por exemplo. Pretende viver desse modo até o dia que morrer, então deverá parar. Paciência.

4 comments
Simone Lessa - 1 de julho de 2017

Faltou dizer se é ex-casado!!!???

Reply
    Flavio Prada - 2 de julho de 2017

    Ainda não

    Reply
Rafael Reinehr - 3 de julho de 2017

Por alguns instantes, fiquei em dúvida de o vídeo foi improvisado ou se houve uma preparação, se um roteiro havia sido criado.

No momento dois, senti que o roteiro não só foi criado, lapidado, rebuscado, sofisticado, e caramelado por um exímio criador de histórias.

Finalmente, no momento três, me dei conta que, sim, talvez houvesse tido algum esboço, alguns rabiscos roteirísticos, mas que sim, também, houve uma boa dose de improvisação nas cenas. Ou não?

Em suma: Ri pra vinha d’alho com o vídeo. Adorei o cameratas e suas intervenções. Espero que meus pipocos, quando chegarem nesta idade, sejam meus companheiros nos delírios do pai (e que me deixem fazer parte dos delírios deles!).

Seja bem-vindo Flavio! Sinto que teremos muita diversão por estas bandas!

Reply
    Flavio Prada - 3 de julho de 2017

    Rafael, é tudo isso. Uma camera na cabeça e uma idéia na mão. Obrigado pela acolhida amiga e parabéns pela ousadia! Um abraço

    Reply
Click here to add a comment

Leave a comment: